Blog

Ciclismo Volta a Portugal Tavira AP Maria Nova Lounge

UM DIA NA VOLTA COM O TAVIRA/AP MARIA NOVA HOTEL

Viver um dia na Volta a Portugal em bicicleta integrado na caravana é uma experiência única.
Viver esse dia com a equipa do Atum-General/Tavira/AP Maria Nova Hotel foi ainda mais gratificante, uma vez que se pôde ver, por dentro, o empenho de toda uma equipa, o esforço quase sobre-humano dos ciclistas, o seu profissionalismo e dedicação à camisola que vestem.
As etapas começam muito antes da partida oficial.

A montagem da festa no local de partida, neste caso, a Mealhada, tem início às primeiras horas da manhã, com as tendas das equipas, merchandising, insufláveis enormes com as marcas dos principais patrocinadores, música, envolvendo tudo isto o trabalho de centenas de profissionais.
As equipas chegam em grandes autocarros, cerca de hora e meia antes da partida. O do Tavira exibe as marcas dos patrocinadores, com destaque especial para quem dá nome à equipa.
É tempo para uma palestra do diretor desportivo, Vidal Fitas, aos sete ciclistas que compõem a equipa. O objetivo é preparar a etapa, recordar o papel de cada um, delinear a estratégia.
Ao mesmo tempo, cá fora, os dois mecânicos montam as bicicletas, olhando a todos os pormenores.
Quando os ciclistas se deslocam para o local da partida fictícia, uma vez que a real é já na estrada, a cabeça de cada um já está na corrida.

A etapa Mealhada-Miranda Corvo tinha uma dificuldade no seu final, uma subida de 10 quilómetros até ao Observatório de Vila Nova, realizada pela primeira vez este ano, com uma pendente média de 8,3%, que passa a ser uma das mais duras.
Foi exatamente na subida que os azares bateram à porta do Tavira/AP Maria Nova Hotel, quando o líder da equipa, Alejandro Marque teve um furo e perdeu contacto com os ciclistas da frente.
Já anteriormente, Rafael Lourenço sofrera uma queda aparatosa. O ciclista, evidenciando grande espírito de sacrifício, prosseguiu a corrida, apesar de ter de ser tratado, já em andamento, por um dos médicos da corrida.
É, aliás, este espírito de sacrifício que distingue o ciclismo profissional de muitas outras modalidades.

A emoção da corrida atingiu o auge na fase final, como seria de esperar, sendo aqui que o diretor desportivo tem um papel fundamental, no incentivo aos corredores.
“Vamos! Vamos!”, é a palavra de ordem.
No final, apesar do evidente desânimo em relação ao resultado, as palavras para os ciclistas continuaram a ser de incentivo.

Amanhã será outro dia. A Volta prossegue. E o dia só acaba por volta da meia-noite, com a equipa técnica – dois mecânicos, dois massagistas, além de um motorista e um profissional de comunicação – envolvida na preparação da próxima etapa.
Apesar de tudo, o Tavira/AP Maria Nova Hotel mantém o 2º lugar por equipas na classificação geral, e Alejandre Marque segue em sétimo e Delio Fernandez em oitavo.