Blog

Monchique Algarve

À descoberta de… Monchique, o Jardim do Algarve

Algarve! Que palavra sonante e que fica no ouvido! Para muitos, região ainda desconhecida – apesar da sua popularidade, história e maravilhas naturais que nos surpreendem todos os dias e que vai muito além das praias fantásticas que temos à nossa disposição.
Neste artigo, queremos que conheça o verdadeiro Algarve. O autêntico. O real. Vamos falar de Mochique.
Para quem não conhece, visitar Monchique e todo o seu redor, é conhecer uma zona que conta com uma grande diversidade vegetal, cultural e gastronómica. O “Jardim do Algarve”, como carinhosamente é chamado, também oferece, graças ao clima suave que proporciona, às termas e às águas mineromedicinais, condições excelentes que ajudam a melhorar a qualidade de vida de quem passa por lá.
Um dia em Monchique é sinónimo de descoberta e aventura. Onde há um equilíbrio perfeito entre relaxamento e ânsia. Ânsia de conhecer mais e mais e mais. De querer ver. De querer provar. De querer andar. De querer aproveitar. E é esta mítica de sentimentos que vos convidamos a sentir. Que tenham vontade de explorar e aproveitar.
Em primeiro lugar, neste “Jardim do Algarve”, temos que mencionar todos os trilhos disponíveis para caminhar em pleno contacto com a natureza.
Com miradouros e vistas de cortar a respiração. E, neste ponto, um dos locais obrigatórios é Foia: este é o ponto mais alto da montanha e do Algarve e o melhor lugar para vistas panorâmicas incríveis da toda a região abaixo. Para não falar que, neste local em particular, é possível ver todo o caminho até o Atlântico. Consegue-se ver, dependendo da nebulosidade, o Cabo de São Vicente e mais para norte até à Serra da Arrábida, e para outro, até Faro e todo um vasto semicírculo de serranias.
Após caminhadas por estes “museus naturais”, está na hora de conhecer Monchique e de ir espreitar e provar a gastronomia local.
Para além dos enchidos caseiros, mel e medronho, também existem pratos típicos como couve à Monchique, a assadura, o feijão com couve, feijão com arroz, grão com massa, todas confecionadas à base de carne de porco preto, que podem facilmente ser encontradas nos principais restaurantes. Embora o tempo passe, a cozinha tradicional continua a passar de gerações em gerações sem se perder.
Para experimentar todas estas iguarias, nada melhor que passar pela Tasca do Petrol, um dos sítios mais autênticos que Monchique oferece. Aqui, a cozinha é tipicamente serrana, confecionada em tachos de barro e em forno de lenha.
Para entrada, por exemplo, impõem-se os tais petiscos tradicionais recomendados para todos: farinheira e bucho fritos, chouriça assada, presunto de Monchique, salada de orelha, cachola à moda do Petrol, que é no forno, tal como antigamente se fazia, e outros.
Depois, há três pratos que nunca faltam, por serem muito requisitados: o pernil de porco no forno, a faceira, que é nome dado às bochechas de porco com os respetivos ossos num estufado guloso, e o javali, outro estufado rico de sabor. Há, também, pratos com dia fixo e grelhados – que merecem referência pela qualidade e quantidade da carne, que é sempre de “porco preto”.
A doçaria regional, que é também um encanto e que se desfaz na boca, destaca-se pelos doces de alfarroba, de figo e de amêndoa e gila, os pudins de mel e de batata-doce, e a tarte de laranja. E no fim, para terminar uma refeição, pode-se ainda degustar o medronho. E a melosa. Que são bebidas alcoolicamente fortes, com base em fruta e mel, mas que ajudam na digestão. Não se deve é beber em demasia.
Após esta paragem, vamos explorar Monchique. No centro da vila pode-se desfrutar de uma magnífica vista a partir do miradouro do parque são Sebastião, visitar a igreja Matriz de Monchique datada do início do século XVI, o Convento de Nossa Senhora do Desterro e aproveitar para percorrer as estreitas ruas da vila, contemplando o vasto casario branco com as típicas chaminés de saia e parar para visitar as nossas casas de artesanato.
Outro dos lugares obrigatórios a ver é as Caldas de Monchique. A pouca distância do centro de Monchique, as Caldas são um dos seus maiores atrativos. Tem reputação a boa qualidade da água, considerada medicinal; as termas (hoje em dia dedicadas ao tratamento de algumas doenças), existem desde o tempo da ocupação romana. Este povo, que tanta importância deu à água, construiu neste local um importante balneário.
Uma pequena praça envolta em sombras de grandes árvores é o centro desta pequena localidade, cujo encanto principal vem do parque onde se pode disfrutar de muita sombra, água murmurante, e, sobretudo, da grande tranquilidade que caracteriza este espaço propício a passeios repousantes e a piqueniques familiares nas mesas de pedra espalhadas por toda a colina.
Após um intenso e cheio de descobertas, está na hora de voltar a casa. Que bom que é ter-se a oportunidade de sair da zona de conforto e partir à descoberta. Partir à descoberta de um local diferente, escondido num Algarve autêntico e real.